Ideias. Colaboração. Tecnologia.
+55 21 2224-4525
IInterativa

Pode levar algum tempo para as marcas digerirem isso.
“Conteúdo é mídia”. Talvez pareça que a frase está trocada, de certa forma. Temos visto tanta proliferação de conteúdo que a vasta maioria de conteúdo criado (e patrocinado) por marcas não é muito mais do que um anúncio vagamente disfarçado de conteúdo (um lobo em pele de cordeiro, por assim dizer).
Mas, quando eu comecei a escrever sobre essa ideia de conteúdo ser mídia (por volta de 2014), ela foi tratada com uma grande dose de ceticismo. Muitos especialistas da indústria pensaram que era ir longe demais. Publicidade era uma colocação paga, enquanto o conteúdo era aquilo que tinha de ser merecido. A razão era simples:

Continue lendo


Um dos Apps para leitura em smartphones e tablets, chamado Aplicativo de Rede de Credenciados já está pronto e provavelmente estará disponível no início de 2016, sendo que todos virão na linha de funcionalidades ligadas ao autoatendimento, adianta Ana Paula Larini (FOTO), Gerente de TI da Fundação. Continue lendo


[Destaque] Infográfico 15 dicas SEO parte 1

SEO – sigla para Search Engine Optimization – significa otimização para mecanismos de busca ou otimização de sites. Entenda como melhorar o posicionamento dos resultados orgânicos em sites de busca.

 

Um projeto SEO deve ser bem planejado. Estudar o comportamento do público-alvo é parte fundamental do mecanismo de projeção nos chamados sites de busca, como o Google. Além disto, é importante estar atento para as ações da concorrência e para as novas tecnologias, principalmente aquelas relativas à mobilidade. Mais algumas dicas você confere a seguir, no infográfico “15 Dicas para SEO – Parte 1” (confira a segunda parte deste infográfico). Continue lendo


Qualquer criança me desperta dois sentimentos: ternura pelo que ela é e respeito pelo que poderá vir a ser.
Louis Pasteur ( Químico e Microbiologista francês, 1822 – 1895) 

 

Me preocupa ver crianças acessando a internet.  Antes porém de estabelecer meus argumentos é preciso avisar os “tecno-deslumbrados” de plantão que este artigo não representa nenhum manifesto contra o uso das tecnologias digitais pelas crianças, ao contrário considero estimulante ver o quanto Pcs, tablets e gadgets podem servir de suporte para educação e cultura, mas vivemos um tempo em que tecnologias chegam até nós cercadas de excessivo glamour e marketing, escondendo certos aspectos negativos e até mesmo perigosos. Colocar uma criança diante de um computador desconectado da internet, com softwares apropriados para sua idade e desenvolvimento é bem diferente de deixá-la navegar livre e solta na rede mundial. A diferença é imensa, algo como observar um aquário versus um mergulho em alto mar. Hoje, e cada vez mais, computadores, notebooks, tablets estão mais próximos do conceito de “terminal machines”. A informação reside na nuvem, softwares e aplicativos estão hospedados em servidores remotos e com o advento das redes sociais, a comunicação virtualizou-se por completo, a tal ponto que, muitos jovens (e também crianças) estão se relacionando com pessoas com as quais nunca tiveram um contato pessoal. Estranho? Talvez, mas trata-se de uma realidade estabelecida a qual não tem volta. Neste artigo entretanto, descrevo o que chamo de “iniciação digital precoce”, a qual deve ser na minha opinião evitada a todo custo, para que as crianças venham a se tornar adolescentes equilibrados, com uma melhor capacidade de discernimento entre bem e mal e com mais segurança para emitir suas próprias opiniões. Continue lendo