Ideias. Colaboração. Tecnologia.
+55 21 2224-4525
IInterativa

Em 1994, foi colocada no ar a De Digitale Stad (DDS) ou Cidade Digital de Amsterdã. O experimento tinha como objetivo estabelecer um diálogo entre a comunidade conectada em rede e o conselho municipal da cidade. Interessante que a DDS possuía as mesmas estruturas de uma cidade, isto é, cafés, praças, residências e claro, por se tratar de Amsterdã, um sex-shop. Em seis anos, a DDS já possuía mais de 140 mil “habitantes” que organizavam protestos, emitiam suas opiniões e votavam em propostas. Mais de 20 anos se passaram e, hoje, podemos exercer nossa liberdade de expressão por meio das redes sociais, de forma transparente e sem censura. Continue lendo


2014, ano que tecnologia drone ou VANT (Veículo Aéreo Não Tripulado) começa a ser utilizada comercialmente em diferentes áreas: agricultura, mineração, logística, segurança, esportes e… selfies aéreos. Tomem nota: o mercado global de drones é estimado em 2.5 bilhões de dólares, com crescimento anual de 15 a 20%. Ano do sucesso da ESA (European Space Agency) e seu módulo Philae, que saltou da sonda Rosetta para pousar no cometa Churyumov-Gerasimenko, distante milhões de quilômetros da Terra. Continue lendo


De acordo com o TSE, dia 26 de outubro seria o último dia da eleição presidencial no Brasil. Esqueceram das redes sociais. Após uma eleição repleta de polêmicas, debates calorosos e intenso uso das redes sociais pelos candidatos, as redes sociais ainda fervilham. O que estamos vendo é uma “teoria da cauda longa” aplicada ao processo eleitoral.

“O debate realizado entre os presidenciáveis no dia 19 de outubro gerou 820 mil tweets ao longo das duas horas de programa.”

No Brasil, o número de pessoas que usam o Facebook todos os meses chegou a 89 milhões entre abril e junho deste ano. No Twitter, são 41,2 milhões de brasileiros com um crescimento de mais de 23% a partir do início deste ano. Continue lendo


“Os membros da sociedade de consumidores são eles próprios mercadorias de consumo, e é a qualidade de ser uma mercadoria de consumo que os torna membros autênticos dessa sociedade”. Zigmunt Bauman (Sociólogo – 1925 – )

O onipresente Facebook, para sobreviver e maximizar o lucro de seus acionistas, adotou um modelo de negócios baseado em publicidade, mas não um modelo qualquer. Imagine que o Facebook possui algoritmos capazes de contextualizar banners de acordo com seu perfil, posts e atividades (por exemplo, curtidas). Em outras palavras, este seu “eu digital”, que de certa forma define quem você é, não passa de um produto para o Facebook. Continue lendo


Na abertura da Copa, um paraplégico deu um chute numa bola de futebol utilizando um exosqueleto desenvolvido pela equipe do neurocientista brasileiro Prof. Miguel Nicolelis. Sem dúvida, um feito e tanto se pensarmos que o Prof. Nicolelis busca conectar diretamente os impulsos elétricos do cérebro, gerados a partir “de um desejo ou uma vontade” de mover as pernas e os pés com o real movimento destes membros. Continue lendo