Ideias. Colaboração. Tecnologia.
+55 21 2224-4525
IInterativa

Infográfico – Guerra dos streamings

Com a ascensão de serviços de streaming, a guerra pela audiência é real. Os conteúdos, antigos e novos, estão se dividindo para suprir a necessidade dos consumidores. Em alguns momentos, acontecendo até uma sobrecarga. Entenda mais sobre o mercado no infográfico abaixo!

Infográfico – Guerra dos streamings

Se antes a Netflix dominava grande parte do mercado de streaming, esse cenário está prestes a mudar: gigantes do mercado estão investindo em plataformas próprias. Saiba mais sobre essa guerra e seus feitos!

OS PRINCIPAIS PLAYERS

O mercado de streaming tem crescido devido a facilidade ao acesso ininterrupto e personalizado ao conteúdo de cada plataforma.

  • Netflix
  • Amazon Prime
  • Disney+
  • AppleTV
  • HBO GO
  • Globoplay
  • Telecine Play
  • DAZN

No último trimestre de 2019, Netflix liderou as assinaturas em 23%, seguido do Hulu com 20%

PANORAMA

Apesar do avanço dos streamings, 36% dos assinantes ainda pagam pela TV a cabo. Mas, esse cenário está mudando aos poucos:

2019 – O valor arrecadado pelos serviços de streaming foi de $46bi enquanto o do cinema foi de $40bi

2023 – 700 milhões de pessoas na América Latina terão assinado algum serviço de streaming

2025 – A estimativa é que o mercado de vídeo streaming valha $124.57bi

E O BOLSO DO CONSUMIDOR?

R$ 124,50 – é a soma do valor mensal dos planos básicos (Netflix, Amazon Prime Video, GloboPlay, HBO Go e Telecine Play) no Brasil

R$ 250 – é o valor mensal com adição de outros serviços

$133 – é o valor mensal de todos os serviços disponíveis nos EUA

O RETORNO DA PIRATARIA

Com a divisão dos conteúdos em diversas plataformas de streamings, a pirataria, que tinha caído drasticamente, voltou a crescer:

2018 – 32% de envio de dados em downloads pelo torrent

2015 – 26% de envio de dados em downloads pelo torrent

2011 – 52% de envio de dados em downloads pelo torrent

QUAL O CENÁRIO PARA OS PRÓXIMOS ANOS?

Com a concorrência eminente, os streamings precisam se reinventar. Grandes empresas já estão investindo em conteúdos próprios e, a previsão, é de que, além da segmentação por nichos, eles busquem cada vez mais por nomes relevantes para elevar o nível das produções.

FONTES: Ampere Analysis, Digital de Tudo, Kantar, Learn HUB, Nexo Jornal, ReThink Technology Research, Sandvine.

Comentários no Facebook